O empoderamento feminino no desporto

As atletas femininas há muito que são uma fonte de inspiração para raparigas e mulheres, especialmente para aquelas que praticam desporto nos seus tempos livres. Agora, muitas mulheres praticam desporto por diversão, para se manterem em forma e como actividade social. Na verdade, a prática desportiva é, por si só, uma forma de empoderamento.

Não há muito tempo, a combinação de “mulheres e desporto” era impensável. Aliás, os Jogos Olímpicos tiveram zero participantes do sexo feminino até 1900.
Em 1900, nos Jogos Olímpicos de Paris, as mulheres participaram pela primeira vez, competindo no golfe e no ténis. Pouco depois, a patinagem artística e a natação foram acrescentadas ao repertório feminino, mas a ginástica só foi acrescentada em 1928. Isto foi precedido por uma dura batalha entre as atletas femininas e o Comité Olímpico, composto exclusivamente por homens.

A 8 de Março de 2021 comemora-se o 110º Dia Internacional da Mulher. É um dia em que as mulheres podem celebrar os seus direitos, defender a solidariedade e a justiça e defender a paz e o respeito mundial pelas pessoas e nações.

O Dia da Mulher é uma celebração do empoderamento feminino e das conquistas das mulheres em todas as partes do mundo. Salientam-se os desafios e as dificuldades que estas tiveram (e ainda têm) que ultrapassar para viverem num mundo com oportunidades de género iguais.

Empoderamento feminino através da prática de desporto

O mundo do desporto foi, durante muito tempo, representado maioritariamente por homens. E, em parte, ainda é. Aliás, basta pensarmos que em grandes modalidades como o futebol. São as equipas masculinas que têm maior relevância, visibilidade e apoios, entre outros.
No Urban Sports Club trabalhamos para mudar esta realidade e tornar o mundo do desporto num espaço equilibrado e igualitário. Enaltecemos as mulheres, as suas conquistas desportivas e a sua participação no mundo desportivo. Internamente, damos às mulheres as mesmas oportunidade de crescimento profissional e pessoal que os homens têm.

Acreditamos que a prática desportiva é, também ela, uma forma de enaltecer as mulheres e o que conseguem conquistar – basta quererem. Por isso, hoje partilhamos as histórias de 2 mulheres inspiradoras do mundo do desporto. Uma mulher que abriu portas no mundo do desporto há mais de 50 anos atrás. Outra que o faz hoje em dia. Atletas de conquistas e que, de alguma forma, abrem o caminho para a igualdade de direitos e de oportunidades no desporto.

Kathrine Switzer

Kathrine Switzer, nascida na Alemanha em 1947, fez história. Em 1967, tornou-se na primeira mulher a inscrever-se na Maratona de Boston. Ela usou as suas iniciais K.V. ao inscrever-se.

Nessa época, as mulheres estavam proibidas de correr maratonas. Nessa altura, os oficiais desportivos estavam unidos na sua opinião de que as mulheres eram fisicamente incapazes de correr uma maratona. “Eles pensavam que o meu útero poderia cair enquanto corria”, relata Switzer.

Uma fotografia do director da corrida a tentar empurrá-la à força para fora do percurso durante a maratona tornou-se viral em todo o mundo. Mas Switzer não parou. Ela correu para a meta, fazendo história como a primeira mulher a terminar uma maratona oficial. Passaram-se mais cinco anos até que as mulheres fossem oficialmente autorizadas a entrar na maratona pela primeira vez em Boston.

Hoje, o entusiasmo de Kathrine pela corrida e o empoderamento feminino continua ininterruptamente. Ela escreveu quatro livros, correu mais de 40 maratonas e, em 2015 fundou a rede 261-Fearless – com o objectivo de conectar e capacitar as mulheres através da corrida.

Patrícia Mamona

Patrícia Mamona é uma atleta de triplo salto portuguesa com ascendência angolana. Embora o atletismo seja a sua profissão de escolha, aos 17 anos ganhou uma bolsa para estudar medicina nos EUA.

Uma das mais conceituadas atletas portuguesas, Patrícia já participou em diversos campeonatos, inclusive os Jogos Olímpicos de 2016. Nas suas provas, estabeleceu também vários recordes pessoais.

Dia 7 de Março de 2021 é marcado por mais uma conquista. Sagra-se campeã europeia de Pista Coberta no triplo salto, ao mesmo tempo que bate um recorde nacional. Isto tudo depois de ter estado impossibilitada de treinar durante vários dias, por ter sido infectada com COVID-19 5 semanas antes do campeonato. A atleta ponderou até desistir da prova. Mas manteve o foco, persistiu e foi recompensada.

Enquanto mulher e atleta, Patrícia é uma inspiração para jovens portuguesas que sonham levar o desporto nacional mais longe. E é a prova de que, mesmo num desporto menos valorizado, é possível conquistar.

Treinar pelo empoderamento!

Até há alguns anos atrás, o exercício físico era principalmente associado a ideias como perda de peso ou queima de gordura. Mas, hoje em dia, o conceito significa saúde e bem-estar. Não acreditamos em padrões físicos que devem ser seguidos, mas sim em que cada mulher se sinta bem como é. E como o bem-estar e a saúde mental estão cada vez mais em foco, há diversas opções para que as mulheres possam cuidar da mente e do corpo – do yoga à meditação e muitas outras.

Saúde mental com yoga

O yoga foi originalmente desenvolvido e praticado por homens. Mas hoje ocupa um espaço significativo no universo feminino. A modalidade promove a saúde física e mental através de práticas de mindfulness, que estimulam o autocuidado e o equilíbrio. As nossas aulas online em directo de Yoga são praticadas maioritariamente por mulheres (cerca de 82% dos participantes). O yoga é, sem dúvida, a modalidade mais popular das nossas aulas online em directo. Mas o fitness, o Pilates, a dança, a meditação e o Pole Dance também ocupam o seu lugar!

Força e confiança com kickboxing

Achas que as artes marciais são só para homens? Esquece isso! As artes marciais estão a ganhar cada vez mais popularidade entre as mulheres. O estereótipo de que o boxe, o kickboxing, o jiu-jitsu ou outras são apenas praticado por homens é para esquecer. E hoje em dia, em vez de ser um tipo de desporto unicamente competitivo, as artes marciais são praticadas como uma forma de exercitar tanto o corpo, como a mente. Para além disso, as técnicas de defesa pessoal ajudam as mulheres a sentir-se mais seguras, fortes e confiantes.

Consciência e expressão corporal com dança

Outra actividade que tem contribuído para o empoderamento das mulheres, e para que se sintam mais confiantes e confortáveis com o seu corpo, é a dança. E as aulas online em directo de dança são um pequeno trunfo para momentos de diversão e liberdade em casa!
Uma das modalidades que mais tem crescido é o pole dance. Dançar num varão promove a flexibilidade, força, expressão e ritmo. O desempenho acrobático proporciona um treino de corpo inteiro, ao mesmo tempo que ajuda as mulheres a aumentarem a consciência corporal. Além disso, ajuda-as a sentirem-se bem e a valorizarem ainda mais o seu corpo! E para quem não tem varão em casa, há alternativas que pode experimentar, como danças exóticas ou dance chair, por exemplo.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Would you like to know more about our corporate sports offer?